Pular para o conteúdo

22 de Setembro de 2019 às 14:06 | Ação Social

22 de Setembro de 2019 às 08:00 | Segurança Pública

21 de Setembro de 2019 às 11:09 | Geral

21 de Setembro de 2019 às 09:15 | Segurança Pública

21 de Setembro de 2019 às 08:38 | Meio ambiente

Bombeiros controlam incêndio no Lago de Manso mas continuam em alerta

20 de Setembro de 2019 às 18:20 | Economia e Finanças

20 de Setembro de 2019 às 16:59 | Educação

Escola estadual da Capital realiza plantio de 43 árvores

20 de Setembro de 2019 às 15:55 | Esporte e Lazer

20 de Setembro de 2019 às 15:27 | Geral

Voltar

Gestores buscam soluções para retenção de macas do Samu

Reunião entre secretários debateu a regulação de pacientes e a superlotação de leitos nos prontos-socorros; foram elencados dois caminhos resolutivos para a situação.
Ana Lazarini | SES-MT

Reunião com Secretários de Saúde - Foto por: Marcos Vergueiro/Secom-MT
Reunião com Secretários de Saúde
A | A

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, recebeu os secretários municipais de Saúde Cuiabá e Várzea Grande, Luiz Antônio Possas e Diógenes Marcondes, para debater o desempenho do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O encontro foi realizado na manhã desta quarta-feira (14.08), na sede da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT).

“O objetivo desta reunião é elaborar caminhos para a amenização dos problemas referentes à retenção das macas do Samu nos prontos-socorros. Queremos entender as particularidades do porquê isso está acontecendo e tomar medidas, de forma harmônica, para que a situação não volte a ocorrer”, disse o secretário, ao iniciar a conversa.

Conforme exposto pelos representantes municipais, a retenção das macas do Samu é uma consequência da superlotação dos leitos das unidades de pronto atendimento. Nesta perspectiva, as gestões municipais e estadual irão unir esforços para facilitar o desafogamento dos prontos-socorros.

De acordo com a secretária adjunta de Regulação, Controle e Avaliação da SES-MT, Fabiana Bardi, o plano de solução gira em torno da regularização de exames e procedimentos ligados principalmente à hemodinâmica – fator que auxiliaria na maior rotatividade de pacientes e, consequentemente, no desafogamento dos leitos de todo o estado – e na elaboração de uma nova dinâmica para o Serviço de Atendimento Móvel. 

“Pretendemos rever o fluxo de acesso do Samu e redesenhar o nível de assistência e especialidade de cada uma das unidades de Saúde. Desta forma descentralizada, os prontos-socorros não ficariam tão sobrecarregados”, explicou a gestora.

Ainda no que se refere à regulação de pacientes, o Hospital Estadual Santa Casa também foi pauta da reunião. Na oportunidade, a diretora da unidade e secretária executiva da SES-MT, Danielle Carmona, reforçou que o hospital só deve receber pacientes devidamente regulados pelo Sistema de Regulação (Sisreg). Além disso, foi retomado o debate acerca do serviço de cardiologia, que em breve será oferecido pelo Hospital Estadual.

“No primeiro momento, até registrado em suma, consta que o município de Cuiabá manifestou que não haveria a necessidade emergencial do serviço de cardiologia. Porém, na reunião de hoje, vimos que há pacientes, principalmente em Várzea Grande, ocupando leitos e aguardando apenas pelos procedimentos de cateterismo ou angioplastia. Diante disso, é reacendida a importância de disponibilizarmos, o quanto antes, o serviço de hemodinâmica”, explicou a diretora do Hospital Estadual.

Após o alinhamento entre gestores, foi decidido que ambas as diretrizes de solução do problema – o desfogamento dos leitos das unidades de pronto-atendimento e a elaboração de um novo fluxo de acesso para o Samu – serão aprofundadas em reuniões com as áreas técnicas. Na manhã de quinta-feira (15.08), será realizado mais um encontro entre estado e municípios, visando à estipulação de um novo desenho assistencial para o Serviço de Atendimento Móvel.